segunda-feira, março 06, 2006

Aceitei outra cerveja. Não tinha porque negar.
- Bem gelada, certo? – ela disse
- Sim, claro. – respondi
Bem gelada que era pra acabar de vez com a minha voz, que mal agüentara responder que sim, mais cerveja.
Larguei todas as conversas que conversava, todos as leituras que lia e desisti de mais um “acesso negado” numa dessas coisas que pouco me importava. Com a caneta na mão, dedilhei algumas palavras, perdido de tudo, isolado por uma parede invisível dos escritórios e máquinas-ferramenta do mundo-bate-estaca-pra-ganhar-dinheiro que tanto nos enche vez ou outra. Foi só o que bastou pra ouvir, de todos os lados, as vozes que até aquele momento estavam caladas. “Ei, isso”, “ei aquilo”, diziam e não se cansavam de dizer...

O risco-rasura, maior no papel do que as letras, apareceu ali, vindo não sei de onde. Não me lembro exatamente o que estava quase a escrever... Não gosto de ler os parágrafos acima... Creio que foram as vozes, no susto que me deram. E foi só o susto. Não entendia o que queriam...

Ignorando as vozes, a caneta corria novamente:

“Na verdade, aqui, não sei o que quero dizer, como nunca soube antes. E mesmo assim já disse tantas coisas noutras folhas por aí... E ainda que a cada vez eu termine por me contrariar, estas palavras não cessam.

Está na essência do ser humano querer dizer sempre alguma coisa, não é mesmo? Nem que sejam mentiras, nem que sejam histórias (com H mesmo) e nem que sejam algumas explicações ou correções... está na nossa essência.”

E a caneta correu muito mais que isso, mas as vozes estavam sempre a atrapalhar. Não saíam dali com suas reclamações, com suas lamúrias e desculpas pra interferir a vida de qualquer um que lhes dê a mínima atenção. Fui fraco para as vozes, por momentos, mas depois queimei as palavras que tinham ditado. Caneta ainda há e papel. E também há outros lugares onde paredes invisíveis costumam ser mais fortes. Ainda há tempo para escrever qualquer coisa que eu não saiba o quê.

1 Comments:

Blogger Marpessa said...

olá, olá!

gracias pela visita ao meu blog! depois voltarei aqui para ler com mais atenção os teus escritos. e obrigada por ter colocado meu link!

abraço, volte sempre!
;)

ps: sim, erica szuster, uma figura! ;)

segunda-feira, março 06, 2006 7:23:00 PM  

Postar um comentário

<< Home