terça-feira, junho 20, 2006

Sobre recomeços...


É sempre difícil recomeçar, desistir da inércia e queimar combustível no motor. Até poucos instantes (tão infinitos esses instantes) eu mal me movia. Agora há pouco pus-me a revirar minhas coisas na estante. Não é muito o que faço, mas é muito mais que outrora. Na estante velha, empoeirada e escondida n´algum fundo de cômodo, encontro apenas lembranças. Lembranças do que fui, do que nem lembrava ter sido e do que eu nem sabia que tinha sido. Cadernos, fotografias, cartões postais e de natal, papéis, letras, palavras minhas e também de outras pessoas. Pessoas que passaram, em sua maioria. Inclusive eu.

Nunca liguei muito para os cartões postais. Tenho tão pouco cuidado em conservá-los. Em compensação, cada simples folha de cadernos ou caderninhos ganha de mim o maior zelo que posso oferecer. Junto todas, separo-as novamente, organizando. Leio, releio. Junto-as novamente, organizadas, num só corpo. Olho para aquilo com melancolia. É sempre difícil deixar o que passou pra trás.

Desde criança, sempre que me olhava ao espelho, acontecia de não me reconhecer. Não era eu quem estava ali. Eu não sentia que aquilo ali me envolvia. Demorei algum tempo pra me convencer, aceitar e, mais tarde, até acreditar e gostar do que via. Demorei, mas eu era finalmente um conjunto completo, bem entrosado.
Isso passa... Tudo sempre passa...
Hoje não me reconheço mais, novamente. E quando olho ao espelho, não sei quem é ali. E acho que também não sei quem sou aqui...

Gosto de fotografias. Principalmente das que eu faço. Não canso de olha-las. É como se eu pudesse capturar a magia de cada instante. Cada uma que eu olho, lembro exatamente da sensação que tive ao bater o clique. Estão todas ali, junto com os papéis. Imutáveis. Melancólicas.

É sempre difícil recomeçar, mas não é o caso de me juntar aos papéis e às fotografias. Trata-se apenas de tocar pra frente, mesmo que às vezes isso pareça impossível. Tenho que me convencer disso quando me encontrar no espelho ou aqui fora dele.

3 Comments:

Anonymous Minha said...

Palavras melancolicas assim como seus cadernos, postais e fotos amontoados!
Sobre reconhecer-se no espelho, bom... nada a declarar... ainda busco a coragem para encara-lo!
Biseaus

terça-feira, junho 20, 2006 4:19:00 PM  
Anonymous Minha said...

obs... melancolicas e maravilhosos!

terça-feira, junho 20, 2006 4:19:00 PM  
Blogger Alessandro said...

Monstro! :-)

sexta-feira, junho 23, 2006 2:57:00 AM  

Postar um comentário

<< Home