terça-feira, março 07, 2006

O Velho

Logo de cara via-se o rosto triste do velho sentado sozinho à mesa, lendo suas anotações manuscritas sabe-se lá quando. A testa franzindo, as sobrancelhas forçando, preocupação evidente. A garganta pigarreava minuto a minuto, o menos aparente sinal do desgaste de seu corpo. Os olhos num olhar vago, vazios, perdidos sabe-se lá em quantas lembranças e esforçando-se com dor para ler os registros no caderninho velho e triste. As mãos enrugadas traziam o cigarro à boca, sem denunciar qualquer outra utilidade. As pernas paradas abaixo, numa posição tão incômoda que pareciam nada sentir. Seus cabelos eram brancos e pareciam pesados, carregando pescoço e cabeça de encontro ao chão. A figura transportava cansaço e dor aos que olhavam.
Tentei falar-lhe um "Olá, como vai?". E o brilho e o vigor surgidos em seu olhar e o largo sorriso de dentes fortes em seu rosto foram os mais belos que pude presenciar em toda a minha vida.

3 Comments:

Anonymous So said...

Olá, Rafa!

Visitinha rápida!

Gostei deste novo espaço. Mas, espero que tenha os arquivos dos antigos textos.
No dia 17/03, haverá um sarau de música e poesia na Casa das Rosas, às 18:00 hs. +-. Acho que vale conferir!
Bj
So

quinta-feira, março 09, 2006 2:43:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Looking for information and found it at this great site... » »

sexta-feira, fevereiro 02, 2007 10:32:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Very nice site! »

quinta-feira, fevereiro 15, 2007 6:25:00 PM  

Postar um comentário

<< Home